Prognosis and quality of life of elderly patients after intensive care

É uma realidade na UTI a internação de idosos, que demandam um atendimento diferenciado e talvez um tempo maior de internação. Mas será que os idosos apresentam maiores problemas relacionados a internação e pós alta hospitalar?

Antes de mais nada precisamos definir o que seria o idoso:

  • Na literatura eles são definidos como maior que 65 anos.

Ao falarmos de mortalidade neste grupo de pacientes, precisamos entender que a mortalidade na UTI, durante a internação ou após a alta hospitalar em 1, 3, 6, 12 ou 24 meses ou até por anos mais tarde, se diferem pelas causas que agridem a saúde do idoso. Essa mortalidade poderá também influenciar pela triagem antes da admissão na UTI o que é fator decisivo para o idoso, pois estes pacientes podem dar entrada mais graves ou até não ter um tratamento em relação a públicos mais jovens. Isso poderá entrar no grupo de pacientes que não apresentam mais respostas terapêuticas por doenças crônicas que evoluem no decorrer dos anos e que não serão possíveis maiores tratamentos.

Outro fator são pacientes que são transferidos de UTI para a enfermaria ou até de unidades para ter seu fim de vida mais digno ou junto da família, assim isso poderá subestimar a mortalidade na UTI. Porém os pacientes idosos apresentam alguns fatores que poderão identificar uma mortalidade mais alta nas internações na UTI, pois a gravidade na internação avaliada pelo APACHE, SAPS ou SOFA são geralmente mais importantes e predizem maior gravidade. O interessante é que a idade avançada não é fator decisivo e sim as co-morbidades que estes pacientes apresentam em sua internação, que também poderão predizer péssimo prognóstico após sua alta, com queda importante na qualidade de vida.

Em nosso dia a dia não é incomum atendermos idosos que são entrada na UTI com diversas doenças associadas ao quadro agudo que apresentam, sendo elas as insuficiências cardíacas, hipertensão arterial sistêmica, diabete mellitus, insuficiência coronáriana, entre outras. Doenças que poderão ditar o desfecho destes grupos de pacientes.

Assim as internações e reinternações destes grupos de pacientes são enormes e tudo girando em torno das doenças de base que são arrastadas e quando exacerbam levam o idoso para a UTI, mesmo os que se submetem ao tratamento das mesmas. Ainda temos discrepâncias sobre alguns dados nesta populações, porém os estudos nesta área começam a surgir em grande números, visto a população de idosos que vem crescendo no Mundo..

Tentaremos abordar em outros post´s alguns detalhes de idosos que ficam internados na UTI...

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22965434
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15888857

Até a próxima...

Professor Fernando Acácio Batista

CREFITO 3/100.192 - F

 

 

Posts Relacionados

Fisiointensiva
Redes Sociais

© 2019 - Fisiointensiva - Todos os Direitos Reservados